‘Diretas, já’ unifica movimentos sociais, afirma Humberto Costa

Para o senador, a campanha para antecipar as eleições presidenciais denuncia o caráter antidemocrático do governo golpista de Temer...

Senador por Pernambuco, o petista Humberto Costaacredita que a campanha das ‘Diretas, já’ é “a bandeira da unidade de todos os democratas do nosso País”.

Em entrevista à Agência PT de Notícias, Humberto lembrou que o Partido dos Trabalhadores tirou resolução política, na última sexta-feira (2), defendendo a antecipação de eleições presidenciais para restabelecer a normalidade democrática, já que agora o Brasil tem à frente “um governo usurpador, ilegítimo, sem votos, com um programa antipopular e antinacional”.

“Como vários movimentos sociais, o PT também tomou a decisão de sermos oposição dura e firme a esse governo golpista. Entendemos que a bandeira das ‘Diretas, Já’ é a que pode unir esses movimentos e suas lutas, fazendo, inclusive, uma denúncia do caráter antidemocrático desse governo”, declarou.

Ao falar da saída definitiva da presidenta eleita Dilma Rousseff, o senador afirmou que o golpe foi para interromper o projeto do PT, “que incluiu milhões de pessoas, fez o Brasil crescer e se desenvolver”, para adotar as políticas que foram derrotadas quatro vezes pela população brasileira.

Senador Humberto Costa (PT-PE) Foto: Lula Marques/Agência PT

Senador Humberto Costa (PT-PE)
Foto: Lula Marques/Agência PT

“O que houve foi uma grande articulação envolvendo a oposição, a direita brasileira em conluio com os grandes meios de comunicação, com o empresariado, uma parcela do Ministério Público e do Poder Judiciário para tentar conseguir via um golpe parlamentar aquilo que eles não conseguiram nas urnas, durante quatro eleições seguidas”, completou.

Para Humberto Costa, o programa que o usurpador Michel Temer está impondo ao País vai contra os trabalhadores e o povo pobre.

“Porque foram essas pessoas que conseguiram, nesses últimos treze anos, serem incluídas no mercado de consumo, no mercado de trabalho, que passaram a ter direito a uma atenção maior do Estado, que tiveram políticas específicas em várias áreas sociais, na saúde, na educação, na moradia, na assistência social”, afirmou.

E para implementar um programa desses, os golpistas lançam mão da repressão policial aos atos e movimentos contrários a eles.

“Eles só vão conseguir implementar um programa como esse se tiverem realmente a força bruta para tentar barrar os movimentos socais”, ressaltou.

Segundo Humberto, essa escalada de repressão é parte desse programa dos golpistas, pois sabem que é impossível implementar essas medidas sem que haja uma forte resistência popular.

Repressão policial no ato #ForaTemer em Belém (PA) Foto: Edson Palheta para os Jornalistas Livres

Repressão policial no ato #ForaTemer em Belém (PA)
Foto: Edson Palheta para os Jornalistas Livres

“Um governo que não teve o respaldo social, que não foi eleito nas urnas, não tem qualquer preocupação em levar em consideração o pensamento e o sentimento da população. Então acho que essa escalada de repressão está apenas se iniciando”, apontou.

Mas o senador petista acredita que os movimentos vão resistir e os usurpadores “não terão sucesso em implementar esse programa”.

Por Luana Spinillo, do Recife, para a Agência PT de Notícias

 

Coordenação

Construindo Um Novo Brasil.

Website: construindoumnovobrasil.com.br/

É uma corrente interna do PT, da qual fazem parte alguns dos principais ministros do nosso governo e o próprio Luiz Inácio Lula da Silva, entre outros quadros importantes. A corrente nasceu em 1983, a partir do Manifesto dos 113, que buscou organizar o grande número de militantes...