Debate: Raul Pont vai resistir a cortes em saúde e educação

Candidato afirmou que, se eleito, vai fazer o enfrentamento contra o congelamento de gastos previstos pelo governo usurpador de Temer...

O candidato à prefeitura de Porto Alegre Raul Pont (PT) participou de debate na Band na noite da quinta-feira (8). Durante o programa, Raul mostrou como vai recuperar Porto Alegre, com maior presença do poder público e participação popular.

Raul ressaltou que se for eleito, Porto Alegre se colocará na vanguarda contra medidas de congelamento de gastos previstas pela PEC 241 do governo usurpador de Michel Temer ( PMDB). O candidatou lembrou que PMDB, PSDB e PP apoiam essa medida na esfera federal, que impedirá por 20 anos aumento real nos investimentos em saúde e educação. “Já sabemos que Porto Alegre tem problemas graves. Como vai ficar se isso passar?”, questionou.

Além disso, Raul afirmou que quer retomar a força do orçamento participativo, que já foi uma referência mundial, mas que foi esvaziado nas últimas administrações.

A segurança foi um dos principais temas do debate. A capital gaúcha sofre com a explosão da violência. Questionado por um eleitor sobre o que fará sobre a questão, Raul lembrou que o governador do Estado José Ivo Sartori (PMDB) desmontou o efetivo policial no Estado. Foram 3.200 policiais da Brigada Militar e 700 da polícia civil que saíram ou se aposentaram.

Raul afirmou que vai contratar 260 guardas municipais – em vagas já abertas e com concurso já realizado. Além disso, vai melhorar e centralizar os serviços de monitoramento e vigilância. “Hoje a situação do Estado determina essa crise. O município tem obrigação de fazer sua parte”, disse o candidato.

Para ele, Porto Alegre vive uma violência que não conhecia. Além de melhorar o serviço da guarda, Raul reafirmou que vai melhorar a qualidade dos serviços públicos na cidade como forma de combate à violência. “Garantir serviços públicos nos bairros, garantir a escola em tempo integral, a formação profissional, para que o esporte e o lazer sejam alternativa para a nossa juventude, e não aconteça como hoje em que ela é disputada pelo tráfico”, afirmou ele.

Questionado sobre o apoio da presidenta eleita Dilma Rousseff (PT) à sua candidatura, Raul afirmou que a maior parte das obras em Porto Alegre hoje são fruto de investimentos do governo federal na gestão de Dilma. Segundo o candidato, foram mais de R$ 900 milhões para obras como a duplicação do Hospital de Clínicas, o Mais Médicos, a travessia do Rio Guaíba, além da maioria dos programas sociais que beneficiam a população.

Obras paradas

Raul criticou as obras paradas na atual gestão. Segundo ele, diversas obras previstas para acabar em 2014 ainda não terminaram e já sofreram diversos aditivos (adicionais para mais gastos). “Minha crítica não é às obras, a minha preocupação é que as obras começam e não terminam. Algumas nem começam”, afirmou ele.

Segundo o candidato, foram muitos equívocos cometidos durante a execução das obras. “Os erros significam dinheiro público que está se perdendo”, diz. Ele lembrou que nas gestões do PT, foi feita a obra da avenida Perimetral, muito maior e mais complexa do que a que a obra feita pela atual gestão na avenida Ceará – que encontra-se atrasada. Mesmo muito maior, a obra não atrasou nenhum dia e seguiu à risca o cronograma. “É um exemplo concreto de como se faz uma obra bem feita”, afirmou.

 

Coordenação

Construindo Um Novo Brasil.

Website: construindoumnovobrasil.com.br/

É uma corrente interna do PT, da qual fazem parte alguns dos principais ministros do nosso governo e o próprio Luiz Inácio Lula da Silva, entre outros quadros importantes. A corrente nasceu em 1983, a partir do Manifesto dos 113, que buscou organizar o grande número de militantes...